Transtorno Obsessivo Compulsivo

O Transtorno Obsessivo Compulsivo ( TOC)  possui como características ações e atitudes obsessivas e compulsivas.

O TOC está diretamente relacionado aos Transtornos de Ansiedade.

A obsessão  aparece nos pensamentos como imagens recorrentes e impulsos persistentes que são vivenciados de forma intrusiva e não controlada. A compulsão aparece nos comportamentos e atos mentais repetitivos.

Muitas vezes essas obsessões são acompanhadas de  sentimentos de medo e culpa por serem inapropriados para o momento. O indivíduo encontra muita dificuldade em controlar esses pensamentos obsessivos e acaba por adotar atitudes repetitivas que, com o objetivo de aliviar os sintomas da ansiedade. Esses rituais, acontecem de maneira sistemática e podem interferir de maneira muito significativa, causando grandes prejuízos nas atividades diárias, trabalho, estudos, entre outros.

Causas para o desenvolvimento do transtorno Obsessivo Compulsivo:

O transtorno obsessivo compulsivo possui múltiplas causas como fatores biológicos, questões genéticas e neuroquímicas do cérebro e variáveis do ambiente como estrutura familiar e exposição a situações traumáticas e de estresse, dificuldades de lidar com o sentimento de medo e de insegurança.

Obsessões

Dúvidas constantes e necessidade de ter certezas, preocupação excessiva com sujeira, germes ou contaminação , pensamentos que envolvem imagens e conteúdos impróprios relacionados a sexo, preocupação com simetria, exatidão, ordem, sequência ou alinhamento, pensamentos supersticiosos com números especiais, cores de roupa, preocupação com datas e horários que podem vir acompanhados de algo ruim.

Compulsões

Rituais e repetições, evitações, indecisão, angústia, medo e culpa.

Tratamento

O tratamento com excelente resultado envolve a combinação de Tratamento medicamentoso com Psiquiatra e Psicoterapia com Psicólogo.

Medicamento (Psiquiatra)- Atuam no controle da serotonina no cérebro.

Terapia Comportamental e Cognitiva (Psicólogo) – Atua na mudança do comportamento e em como lidar com os pensamentos, de maneira a trabalhar a insegurança e o medo de não se render aos rituais.